VOCÊ SABIA QUE ESSE É UM DOS SINTOMAS QUE PRECEDE O INFARTO?

Como conhecida popularmente, a impotência sexual, também chamada de impotência erétil, é a impossibilidade de um homem manter uma ereção satisfatória do pênis. Esta dificuldade interfere nas relações sexuais, tornando-as menos proveitosas.

É comum que esse cenário ocorra de vez em quando. Embora seja uma situação vergonhosa e frustrante para os homens, uma ou outra falha na ereção não é nada anormal. Isso acontece até com os mais jovens.

A ansiedade e o estresse são fatores psicológicos, entre muitos, que podem interferir na vida sexual de ambos os gêneros. No caso dos homens, podem dificultar a obtenção da ereção. Porém, poucos têm conhecimento disso e acreditam que o problema é com o órgão sexual.

No entanto, para existir o diagnóstico de impotência, as falhas nas ereções precisam ocorrer com certa frequência. A dificuldade em mantê-las deve ser percebida, pelo menos, em 75% das tentativas de relação sexual.

Embora sua consequência mais evidente se dê durante o ato sexual, ela pode ser indício de outros problemas e deve ser vista como um alerta. Com causas psicológicas e orgânicas, a disfunção erétil é um dos marcadores para a doença cardíaca e, em alguns casos, ela pode preceder o infarto.

Como é feito o tratamento

A disfunção erétil pode ser tratada de diferentes formas, pois o tratamento depende da causa, no entanto, algumas das opções de tratamento mais usadas incluem:

Remédios como sildenafil, tadalafil ou vardenafil;
- Terapia de reposição com hormônios em cápsulas, adesivos ou injeções que aumentam os níveis de testosterona e facilitam a testosterona;
- Uso de aparelhos de vácuo que favorecem a ereção e são especialmente aconselhados para homens que não podem fazer o tratamento com remédios.

Além dos tratamentos referidos, o aconselhamento com um psicologo ou psiquiatra e a terapia de casal são também muito importantes, pois ajudam tratar outros problemas, medos e inseguranças que possam existir e que estejam também contribuindo para o problema. A psicoterapia também é indicada nestes casos para ajudar a tratar o estresse, ansiedade e a depressão.