Colpoplastia Anterior

O que é?

Defeito da fáscia endopélvica e músculos pélvicos anteriormente a vagina pode ocasionar a famosa bexiga baixa nas mulheres. A correção cirúrgica deste defeito é chamada de colpoplastia anterior, esta pode ser realizada por via vaginal ou abdominal (aberta ou laparoscópica.) e com ou sem o uso de uma tela para auxilio do reforço deste defeito e reposicionamento da bexiga.

Indicação

Muitas mulheres tem uma flacidez da musculatura pélvica da parede vaginal anterior a ponto de ocasionar um prolapso da bexiga para dentro da vagina (cistocele). Os prolapsos mais avançados já possuem indicação cirurgia, pois não tem bons resultados com terapias conservadoras. Alem disto mulheres que apresentam cistocele e sintomas como : infecção urinaria de repetição de difícil tratamento, retenção urinaria grave, obstrução uretral grave devido a cistocele e dor durante a atividade sexual importante tem indicação de tratamento cirúrgico.

Como se faz?

Inicialmente a paciente é submetida a anestesia (raqui ou geral) e então colocada em posição ginecológica (para as cirurgia por via vaginal) ou em decúbito ventral nas cirurgia aberta ou laparoscópica. A cirurgia é realizada fazendo o reforço da fáscia endopelvica anterior a vagina e reposicionamento da bexiga, este reforço pode ser realizado com técnicas de sutura ou com a ajuda de uma malha de polipropileno, também chamada de tela. O tempo cirúrgico é de aproximadamente 60 minutos e a paciente ficará com sonda vesical de demora e com tampão vaginal até o dia seguinte a cirurgia. A alta hospitalar ocorre dentro de 24 a 48h.

Preparo

Os cuidados pre-operatórios seguem os padrões das cirurgia de médio porte como:
. Jejum de no mínimo 8h
. Medicações anticoagulantes devem ser suspensas antes do procedimento (conforme orientação do seu médico)
. Aparar no dia anterior (se for via vaginal deve-se aparar o pelos pubianos)
. Medicações devem ser sempre informadas para avaliar a necessidade de suspensão nos dia da cirurgia
. Estudo urodinâmico sempre que possível deve ser realizado no pre-operatório, pois auxilia na conduta cirúrgica e na decisão de correções concomitantes (quando por exemplo a paciente também apresenta incontinência urinaria neste exame).

Recuperação

A recuperação não é complexa. Deve-se fazer a higiene local com água e sabonete neutro, fazer uso das medicações receitadas (normalmente antibiótico e analgésicos), não realizar esforço físico por pelo menos 90 dias e não manter relação sexual pelo mesmo período de 90 dias.
Os pontos caem sozinhos, sem a paciente precisar ir ao consultório para retira-los. Pode ocorrer um sangramento vaginal por ate 30 dias e dor pélvica devido os pontos de fixação. O retorno ao consultório deve ocorrer entre 15 e 30 dias.